GUARDA-MOR
Editores
Livreiros
Login / Iniciar Sessão | Registo de novo utilizador
Home
Títulos Autores Minha Conta Contactos
Índices dos Registos Paroquiais de Lisboa - Casamentos - vol. IX - 1840-1845
-75%
Preço: EUR 36,00 / EUR EUR 9,00
Editora: Guarda-Mor
Ano do Livro: 2009
Ano da Edição: 2009
Nº Páginas: 384
Encadernação: Capa dura

Temas: [·] [·] [·] [·] [·] [·] [·]
Sinopse:

No panorama político português surge por esta altura uma nova figura marcante desta época: António Bernardo da Costa Cabral, futuro marquês de Tomar. Deputado em 1836, ministro da Justiça em 1839, em 1841 vence a disputa com Rodrigo da Fonseca pelo lugar de Grão-mestre da Maçonaria. No ano seguinte protagonizou um golpe de estado que aboliu a Constituição de Setembro e restaurou a Carta.

Assegurando a pasta do Reino num ministério presidido pelo Duque da Terceira, e responsável por um governo que, pela primeira vez em vinte anos, se mantém em funções por um período de tempo ate então inimaginável - dois anos. Dois anos assinalados por inúmeras reformas na Administração e Instrução Públicas de que são marcos a criação, em Lisboa, do Teatro Nacional, da Academia de Belas Artes e do Conservatório Nacional, a reorganização da Guarda Nacional e das Misericórdias, as reformas na Agricultura e a publicação do Novo Código Administrativo.

Apesar desta relativa estabilidade do governo, o período abrangido por este volume é em tudo semelhante ao quinquénio anterior: continuam os tumultos e revoltas. Contra a política de Costa Cabral forma-se uma alargada frente que integra os Setembristas, partidários da Constituição, os Cartistas dissidentes e os Miguelistas. Em 1844 dá-se uma sublevação militar chefiada pelo conde do Bonfim que se alastrará pelo país e acabará sufocada pelas forças fieis ao governo. Temporariamente. A nova lei da sanidade pública que determina a proibição de enterros dentro das igrejas provocará, dois anos mais tarde, a revolta da Maria da Fonte.

Ao longo da primeira metade do século XIX, é o período que regista o mais baixo número de casamentos realizados na capital: 4.439, ou seja, cerca de metade dos quase oito mil (7.952) que se realizaram 20 anos antes, o que não deixa de ser paradoxal. É o resultado conjugado de uma acentuada quebra da natalidade provocada pela instabilidade social e politica que atravessa todo este período, pelas permanentes movimentações das tropas em todo o país, pelo acréscimo de emigração para o Brasil e pelas epidemias – cólera, tifo - que dizimaram consideravelmente a população.

O presente volume não inclui os assentos de casamento da freguesia da Ameixoeira que, por razões que não consegui ainda apurar, não se encontram na Torre do Tombo.
Entre as personalidades que surgem neste volume, o General Francisco Xavier da Silva Pereira, 1° Conde das Antas, chefe militar da revolta contra o governo da Costa Cabral, Jorge de Avilez Juzarte de Sousa Tavares, 2° conde de Avilez e governador-civil de Portalegre, de Manuel José de Oliveira, barão de Barcelinhos, o famoso capitalista que em Lisboa ficou conhecido por "Manuel dos Contos", do Conde da Lousã, D. João José de Lancastre Basto Bahrem, que foi governador-civil de Lisboa e do Marques das Minas, D. Brás da Silveira.
© 2000-2020  Guarda-Mor, Edição de Publicações Multimédia Lda.